Mello Junior

Members
  • Content count

    64
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    10

Everything posted by Mello Junior

  1. Faz assim, ao invés de iconizar, coloque a propriedade visible como falsa. Att
  2. Gonzaga, tente esclarecer melhor o que é feito assim que o programa abre. Fica mais simples para que quiser lhe auxiliar. Att
  3. Cezar, Como o próprio Willian indicou, funções de agregação exigem o group by, mas elas tem de acompanhar todas as colunas da seção SELECT que não são de agregação dentro do GROUP BY. Além do que uma coluna condicional deve estar SEMPRE com o elemento CASE que é a cláusula adequada para filtrar os casos corretamente. Att
  4. A premissa é que todo o FALSE é igual a zero e diferente disso (exceto null) é Verdadeiro.
  5. Bom dia, Indiferente a quem é chave ou não, antes de incluir uma nova chave, deve sempre ser verificada a existência da mesma, você pode por um simples SQL verificar a existência dela ou não, aqui não se trata de estar escrevendo código demais e sim de lógica, já que não há um comando de pre-verificação de códigos únicos. Outra saída seria mandar incluir e testar o retorno do HADD mas creio que poderia mascarar um outro possível erro e você estaria insistindo com o seu usuário que o código já existe. Em Tempo: Quando você verifica via QUERY SQL, você passa a utilizar como retorno um DATA SOURCE e não o buffer normal da Tabela. Att
  6. Edson, Pode ser que esteja enganado, mas uma impressora tem de estar cadastrada no Windows para que esteja habilitada a ser utilizada, veja que tem a dependência dos drivers. Mas, o iListPrinter irá sim mostrar todas as impressoras que estiverem cadastrada, seja ela local ou de rede. Att
  7. Elaborei um sistema assim, onde haviam as composições cadastradas, cada composição tinha o seu material específico e na medida em que iam informando o percentual de conclusão de cada composição o sistema iria informando o que foi utilizado, como na época era um estoque central para diversas obras, não era feito especificamente, mas em perspectivas todo o material que seria utilizado, empreiteiros encarregados, tudo era listado para a tomada de decisão. Importante citar, que o percentual de conclusão das composições era feito em conjunto com a CEF, pois essa libera o financiamento na mesma medida dessas conclusões. Sistema elaborado com SGBD Dataflex DOS e os relatórios todos eram entregues em Planilhas eletrônicas.
  8. Edson, Veja a propriedade para que o RPT saiba que se trata de uma bobina e não de páginas: Att
  9. Creio que este seja o ponto, o padrão de caracteres ao gravar o arquivo texto. Se não estou enganado o padrão do Andróid é UTF-8 e não ANSI. Att
  10. Tom, Eu ia lhe explicar com todos os detalhes como faço, mas então resolvi olhar no pai dos burros e veja: https://help.windev.com/en-US/?3012008&name=cookiewrite_function Att
  11. Eu utilizo Querys via string, acho muito mais simples de atuar sobre a mesma; cSQL is string = [ SELECT codigo, nome, endereco, cidade, UF FROM %1 WHERE %2 ORDER BY codigo %3 %4 ] //Veja que a String acima tem até a tabela com variável. Preenchendo: cSQL = StringBuild(cSQL, rpcliente..phisicalname, sFiltro, sOrdem, sComplemento) //Nesse momento tenho o meu script preenchido e dentro das variáveis filtro, escrevo como desejo que seja filtrado, sFiltro = "codigo <= 1000", sOrdem = "nome, codigo", sComplemento = "limit 100 offset 100" //Como envio para Execução? HExecuteSQLQuery(dDataFichas,Post96,hQueryWithoutCorrection,cSQL) //veja que dDataFichas é uma variável do tipo Data Source, Post96 é o nome da conexão que deve ser utilizada Agora HReadFirst(dDataFichas) while not HOut nPos is int = TableAddLine(Table) Table[nPos].Col_Codigo = dDataFichas.codigo //mesmo nome utilizado na linha do script como nome da coluna HReadNext(dDataFichas) end HFreeQuery(dDataFichas) //Qualquer dificuldade contacte-me